Lançamento do livro "Fundamentos de Biblioterapia"

22 maio Ateliê da Biblioterapia 0 Comentários



A Biblioterapia é uma prática, ciência e arte, cujo objetivo é o desenvolvimento do ser por meio da leitura terapêutica de livros e outros materiais bibliográficos.

Desde tempos remotos, a Biblioterapia tem sido usada no restabelecimento emocional e social dos indivíduos e se consolidou como uma área do conhecimento multidisciplinar com aportes da Biblioteconomia, Psicologia, Medicina entre outras ciências.

A leitura terapêutica oferece inúmeros benefícios, dentre eles: promove o bem estar; melhora o vocabulário e a escrita; facilita o diálogo; gera a capacidade de resolver problemas do dia a dia com mais clareza; estimula a criatividade e a imaginação; aumenta o nível de motivação; fornece meios para a descoberta de novas formas de sentir e pensar; ajuda na expressão de pensamentos e sentimentos; auxilia na compreensão do outro e no desenvolvimento de empatia; e potencializa o autoconhecimento pela reflexão.



O livro “Fundamentos de Biblioterapia” visa apresentar os conceitos básicos dessa área do conhecimento e a sua leitura é indicada para bibliotecários, contadores de história, mediadores de leitura, terapeutas, professores, jornalistas, pedagogos, psicólogos e demais profissionais que almejam conhecer os princípios da Biblioterapia.

Em breve, o livro "Fundamentos de Biblioterapia" poderá ser adquirido nas principais livrarias do país (Clube de Autores, Livraria Cultura, Amazon, Lojas Americanas, Submarino, Estante Virtual, Mercado Livre, AGBook, Google Play, etc.)

0 Comentários:

Feliz dia das mães com Cecília Meireles

02 maio Ateliê da Biblioterapia 0 Comentários


"Vigília das mães" por Cecília Meireles


Nossos filhos viajam pelos caminhos da vida,
pelas águas salgadas de muito longe,
pelas florestas que escondem os dias,
pelo céu, pelas cidades, por dentro do mundo escuro
de seus próprios silêncios.
Nossos filhos não mandam mensagens de onde se encontram.
Este vento que passa pode dar-lhes a morte.
A vaga pode levá-los para o reino do oceano.
Podem estar caindo em pedaços, como estrelas.
Podem estar sendo despedaçados em amor e lágrima.
Nossos filhos têm outro idioma, outros olhos, outra alma.
Não sabem ainda os caminhos de voltar, somente os de ir.
Eles vão para seus horizontes, sem memória ou saudade,
não querem prisão, atraso, adeuses:
deixam-se apenas gostar, apressados e inquietos.
Nossos filhos passaram por nós, mas não são nossos,
querem ir sozinhos, e não sabemos por onde andam.
Não sabemos quando morrem, quando riem,
são pássaros sem residência nem família
à superfície da vida.
Nós estamos aqui, nesta vigília inexplicável,
esperando o que não vem, o rosto que já não conhecemos.
Nossos filhos estão onde não vemos nem sabemos.
Nós somos as doloridas do mal que talvez não sofram,
mas suas alegrias não chegam nunca à solidão de que vivemos,
seu único presente, abundante e sem fim.

0 Comentários:

Citações e curiosidades - Abr/2019

02 maio Ateliê da Biblioterapia 0 Comentários








0 Comentários: